Adoçantes: o Que Devemos Saber

16

Sabe o que são edulcorantes e adoçantes?

A definição de adoçante é uma mistura de um ou mais edulcorantes com algum nutriente para conferir sabor doce aos alimentos. Saiba mais lendo o artigo Adoçantes: o Que Devemos Saber!

Edulcorantes são substâncias, diferentes dos açúcares, com a capacidade de adoçar alimentos.

Eles podem ser usados em substituição total ou parcial ao açúcar. Os edulcorante tem poder adoçante muito superior ao da sacarose (açúcar comum), saiba como fazer a melhor escolha lendo o restante de Adoçantes: o Que Devemos Saber.

Adoçantes: o Que Devemos SaberAdoçantes: o Que Devemos Saber

Classificação dos edulcorantes
    • Naturais: são os obtidos sem reações químicas a partir de plantas ou de alimentos de origem animal.
  • Artificiais ou sintéticos: são obtidos de produtos naturais ou não e através de reações químicas apropriadas.

Adoçantes: o Que Devemos Saber

  • Existe um grande número de compostos capazes de produzir o sabor doce, entretanto só alguns (naturais ou artificiais) são permitidos pela legislação para serem adicionados aos alimentos.
  • Um bom adoçante tem de ser, solúvel em água, mais doce que a sacarose (açúcar comum), resistir ao aquecimento, inclusive à pasteurização e ultrapasteurização.
  • A característica mais importante do adoçante está no sabor. O ideal é que ele tenha o mesmo sabor do açúcar, sem calorias e sem deixar efeito residual na boca, o conhecido lingering effect. Também não deve ter sabor além do doce ou after taste, que dá uma sensação muito desagradável.
  • A toxicidade dos adoçantes, principalmente os artificiais, está relacionada com a presença de impurezas provenientes da extração ou das reações químicas para obtê-los.
  • Tanto o ciclamato, a sacarina e o acessulfame têm sabor amargo em elevadas concentrações. O esteviosídeo deixa um sabor residual de alcaçuz. Aspartame, apesar de menos doce, tem pouco sabor residual e fraco sabor amargo.

Adoçantes: o Que Devemos Saber – São permitidos os seguintes edulcorantes

Os sintéticos
  • Sacarina, ciclamato, aspartame, sucralose, acessulfame, perilartina e xilitol.
Os naturais
  • Frutose, polióis, esteviosídio, rebaudosídio, glicirrizina, taumatina (proteína da Thaumacoccus Danielli).
  • Quando você for comprar um adoçante, leia o rótulo e conheça o tipo de adoçante utilizado. Sempre que possível opte pelos naturais.
  • O adoçante é recomendado, em especial, para pessoas que fazem dietas com restrição de açúcar ou restrição de calorias, como é o caso dos obesos e diabéticos.
  • Alguns adoçantes causam efeitos adversos à saúde, como intercorrências no trânsito intestinal e enjoo.
  • A definição de adoçante é uma mistura de um ou mais edulcorantes com algum nutriente para conferir sabor doce aos alimentos.
  • Edulcorantes são substâncias, diferentes dos açúcares, com a capacidade de adoçar alimentos…

Dose diária permitida para os principais adoçantes segundo o Comitê de Peritos da Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), em miligramas de adoçante por quilo de peso.

 Adoçante

Dose (mg / kg de peso)

Sacarina

3,5

Steviosídeo

5,5

Ciclamato

11

Aspartame

40

Acessulfame-K

15

Sucralose

15

Xilitol, Manitol e Sorbitol

15

Adoçantes: o Que Devemos Saber – Conheça a sua dose diária

  • Para saber a dose de edulcorante que você pode consumir diariamente, multiplique o seu peso atual (em quilos) pelo valor do edulcorante correspondente em mg (tabela anterior).
  • O resultado significa o limite máximo de edulcorante que pode ser ingerido em um dia.
  • Se você pesa 70 quilos e quer saber qual a quantidade máxima de ciclamato na sua alimentação diária: multiplique 70 (seu peso) x 11 (dose de edulcorante) = 770 mg. Mais do que isso você já estará correndo risco.

Adoçantes: o Que Devemos SaberPonderações para escolha do um adoçante

  • É de primordial importância saber-se que todos os adoçantes aqui listados estão legalizados perante a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), mas não podemos nos esquecer que existe dúvidas sobre os malefícios de alguns:
Aspartame
  • Existem diversos estudos contraditórios sobre a segurança no consumo de aspartamo.
  • É contraindicado para portadores de fenilcetonúria, gestantes e lactantes. É composto por ácido aspártico e a fenilalanina, unidos com pequena quantidade de metanol.
  • Adoça 200 vezes mais do que a sacarose.
  • Nunca utilize aspartame em alimentos quentes, pois além de haver uma perda da doçura, é contra indicado por haver formação de substâncias tóxicas.
Ciclamato
  • O ciclamato e a ciclohexilamina (seu principal metabolito) são atribuídos efeitos carcinógenos.
  • O ciclamato é ilegal nos Estados Unidos (1969) e Japão, atualmente é um aditivo autorizado pelo Parlamento Europeu, com restrições. A ingestão máxima diária atual é de 7 mg/kg de peso corporal. Até 2005 era de 11 mg.
  • Não existem dados suficientes para a indicação em gestantes, lactantes e crianças. Como possui Sódio, deve ser evitado por hipertensos.
  • Adoça 40 vezes maior que o açúcar e não perde esta qualidade quando submetido a altas ou a baixas temperaturas.
Estévia
  • Apesar de ser natural, é extraída de uma planta nativa da América do Sul conhecida como Stevia rebaudiana.
  • Tem poder 300 vezes maior que o açúcar. Mantém-se estável tanto em altas quanto em baixas temperaturas.
Sacarina
  • Foi o primeiro adoçante sintético. O ciclamato, não é metabolizado pelo organismo.
  • Mantém-se estável mesmo em altas temperaturas. É contraindicado para gestantes, lactantes e crianças.
  • Tem poder adoçante 500 vezes maior do que o açúcar, com grande sabor residual amargo.
Sucralose
  • A sucralose é o único adoçante derivado da própria sacarose, é considerado seguro e adoça 600 vezes mais que o açúcar comum.
  • A sucralose não deixa sabor residual acentuado, adoça mais com uma quantidade menor do produto, pode ser aquecida sem apresentar alteração de sabor. Pode ser consumida por diabéticos, gestantes e crianças.
Xilitol
  • É um produto natural não possui contraindicações. Não se deve ultrapassada a dosagem diária pois o excesso pode resultar em um efeito laxativo.
  • Tem o poder adoçante 1.300 vezes maior que o açúcar.

Adoçantes: o Que Devemos Saber – Qual é o melhor método de adoçar?

  • Indiscutivelmente método de adoçar mais saudável é o açúcar já existente nos alimentos.
  • Muitas vezes desnecessariamente acrescentamos mais açúcar ou adoçante alterando o sabor agradável e / ou frescor do alimento (bolo, pudim ou bebida).
  • Tente se habituar ao gosto natural dos alimentos e utilize ingredientes originariamente mais doces para adoçar o alimento, como por exemplo banana, passas, mel, etc.
  • Evite consumir produtos diets em excesso, (gelatina, pudins, suco, etc).
  • Dê preferência a sucos de frutas naturais com pequena quantidade de mel, açúcar, açúcar light, nenhum ou por último adoçante.
  • Utilize os adoçantes para substituir o açúcar sempre com moderação, comece por diminuir 2 gotas por dia no que vai adoçar.
  • Faça rodízio dos vários tipos de adoçantes, inclusive os que são novos no mercado, autorizados pela legislação.
  • Se possível, utilize-os combinados, já que assim, eles possuem maior doçura e por isso consegue-se reduzir a quantidade de uso (ex: ciclamato com estévia).
  • O uso de qualquer adoçante à base de edulcorantes artificiais deve ser proibido às mulheres grávidas e lactantes e para crianças obesas, deve-se seguir a orientação médica.
  • Lembre-se que todo excesso traz prejuízos à saúde. Assim, adoçantes dietéticos não fogem à regra e, portanto, devem ser consumidos com moderação, não se esqueça de se aconselhar com seu médico ou nutricionista.

Adoçantes: o Que Devemos Saber

Guloso & Saudável

Salvar

Salvar

Salvar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor digite o seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.