Sabia que 5 grupos de alimentos são responsáveis por 90% das alergias alimentares?

O Food and Drug Administration, FDA  é um órgão governamental dos Estados Unidos da América que realiza o controle dos alimentos, suplementos alimentares, medicamentos, cosméticos…, e ele alerta sobre Saiba Quais Alimentos Mais Provocam Alergia alimentares.

Segundo o FDA, a cada ano milhões de americanos têm alergia provocada por reação a alimentos. Alguns alimentos que causam certas reações alérgicas, fazem com que o indivíduo passe a vida inteira tratando dela. Em indivíduos mais sensíveis, a alergia pode levá-lo até ao hospital.

Em um congresso médico sobre Quais Alimentos Mais Provocam Alergia realizado nos Estados Unidos da América foi apresentada uma pesquisa que nomeou 160 alimentos responsáveis pela maioria das alergias. Mas 5 grupos de alimentos são identificados como os que mais provocam reações alérgicas ao organismo humano.

Saiba Quais Alimentos Mais Provocam AlergiaSaiba Quais Alimentos Mais Provocam Alergia

Nesses grupos os que mais causam reações alérgicas ao organismo foram apontados: o leite, ovos, peixe, crustáceos, marisco, frutos de casca rija (nozes, amêndoas, avelãs, castanhas de caju, pistáchios), amendoins, trigo e soja. Em estudos publicado em 2008 no Current Opinion in Pediatrics, mencionaram que esses 5 grupos de alimentos são responsáveis por 90% das alergias. Saiba mais sobre Quais Alimentos Mais Provocam Alergia, continuando a ler o artigo.

As alergias alimentares da infância têm a tendência de desaparecerem com o passar do tempo. Mas as que aparecem na fase adulta tendem a ser mais graves e irreversíveis.

Saiba Quais Alimentos Mais Provocam Alergia

São várias as proteínas que podem causar alergia, incluindo as do leite, do ovo, do trigo, do amendoim e outras. Mas as crianças de tenra idade são mais sensíveis às proteínas do leite e do ovo.

Amendoim
  • O amendoim é um super alimento, em cada porção de 100 gramas tem 27 gramas de proteína. Por esse motivo, causa muitas alergias.
  • Estudos apontam que a cupina e a conglutinina são as principais proteínas do amendoim responsáveis pelas reações alérgicas.
  • Um estudo divulgado no New England Journal of Medicine afirma que, ao contrário do que se acreditava, se quiser que seu filho não desenvolva alergia a amendoim, é preciso começar a dar o alimento a ele a partir dos onze meses de idade. Crianças que comem amendoim com frequência são as que menos desenvolvem alergia.

Saiba mais: Descubra por que Devemos Incluir o Amendoim na Alimentação

Frutos de casca rija (nozes, amêndoas, avelãs, castanhas de caju, pistácios)
  • Se ao saborear um fruto de casca rija o seu corpo apresentou alguma reação, provavelmente é alérgico. Pode ser alérgico a um ou vários frutos de casca rija.
  • No caso particular de alergia a um fruto de casca rija, como a amêndoa, o paciente deve eliminar da sua dieta o consumo de outros frutos de casca rija e de frutos da mesma família.
Leite
  • É importante não confundir a alergia ao leite (proteína caseína) com a intolerância à lactose (açúcar do leite).
  • A alergia à caseína, proteína do leite, é mais comum em crianças e tem a tendência de desaparecer com o passar dos anos. Quem tem alergia ao leite de vaca também terá reação a seus derivados, como iogurte, queijo ou a qualquer produto que leve este item em sua composição, como o chocolate.
  • É de ressaltar que a falta do leite pode causar um deficiência nutricional de Cálcio, podendo afetar ossos e dentes. Assim é importante que os alérgicos ao leite compensem a falta substituindo por outros alimentos ricos em Cálcio como tofu couve, brócolis…, ou se houver indicação médica tomar suplementos de Cálcio.

Saiba mais: Leite, Como Escolher o Melhor para Mim?, Conheça Mais Sobre a Intolerância à Lactose e Receitas Sem Lactose!

Peixe, frutos do mar, crustáceos e moluscos
  • Este grupo de alimentos é a principal causa de alergia alimentar em adultos. Acredita-se que a proteína que é a principal responsável pelas reações alérgicas a crustáceos e frutos do mar é a tropomiosina.
  • As pessoas que têm alergia confirmada a alimentos, como: camarão, precisam tomar cuidado ao ingerir outros crustáceos (caranguejo, lagosta) e moluscos (ostra, polvo, mexilhão), há a probabilidade de ser alérgica também a eles, todos possuem a mesma proteína. A alergia a frutos do mar tende a persistir durante a vida toda.

Saiba mais: Peixe na Alimentação Traduz-se em Mais Sabor e Saúde!

Ovo
  • A alergia ao ovo é o segundo tipo mais comum só perdendo para o leite. O problema deste alimento são duas proteínas: a ovalbumina e a ovomucoide, presentes na clara.
  • O alérgico não pode consumir nenhuma parte do ovo, já que no alimento há um contato direto entre a gema e clara.
  • A alergia ao ovo se desenvolve normalmente em crianças, geralmente desaparece dos 5 aos 7 anos de idade. Porém, existem casos em que a alergia se instala durante toda a vida.

Saiba mais: Saiba como o Ovo passou de Vilão a Mocinho para a Saúde

Trigo
  • Ao contrário do que se acreditava, a alergia ao trigo não está relacionada ao glúten, os celíacos, é que apresentam intolerância ao glúten.
  • Já a alergia ao trigo é definida como uma reação imunológica adversa às proteínas do trigo.
  • Por isso, é preciso estar atento ao rótulo e aos ingredientes dos alimentos, pois pães, bolos, cereais, macarrão, farinha, entre outros contêm o grão.
  • Quem é alérgico ao trigo não apresentará, necessariamente, reação à cevada, aveia ou centeio.

Saiba mais: O Trigo: Aproveite os Benefícios desse Poderoso Alimento!

Sintomas
  • Food and Drug Administration, FDA avisa que ao primeiro sinal de alergia, a pessoa deve procurar o médico.
  • O FDA alerta para sintomas que alimentos causam à pessoa sensível, são: urticária, erupção cutânea, formigueiro ou sensação de coceira na boca, edema no lábio ou no rosto, vômitos, diarreia, cólicas abdominais, tosse, tonturas, inchaço nas cordas vocais e garganta, dificuldade de respirar e até perda da consciência.
  • A maior parte dos sintomas surge minutos a horas após a ingestão. Tanto a natureza da reação como seu tempo de início e duração são importantes para estabelecer o diagnóstico de alergia alimentar.
Tratamento
  • O tratamento para a alergia alimentar, em geral  é feito através de uma dieta específica de exclusão dos alimentos que provocam a reação alérgica.
  • Também pode incluir a toma de anti-histamínicos e o indivíduo deve ser acompanhado inicialmente por alergologista e posteriormente por um nutricionista ou gastroenterologista.

Mais informações no link: Cartilha a Alergia Alimentar, da PROTESTE.

Saiba Quais Alimentos Mais Provocam Alergia

Guloso & Saudável

 

Salvar

Salvar

Salvar

3 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta