Você sabe como escolher o azeite…

O azeite é uma gordura líquida extraída exclusivamente por processos mecânicos, da azeitona, fruto da oliveira? O azeite é composto por glicéridos (96 a 98% do azeite, dos quais cerca de 55% são gorduras monoinsaturados). O restante de (2 a 4%) são compostos que dão as características ao azeite a cor, cheiro, e sabor, sendo grande parte destes voláteis (1mg por cada Kg de azeite). Para conhecer mais continue lendo Azeite, o que Devemos Saber!

O azeite de oliva possui várias substancias benéficas à nossa saúde. Ele reduz a quantidade de colesterol LDL (o mau) do organismo, pois tem alto teor de gordura monoinsaturada. Também reduz o risco de infarto do miocárdio e AVC, o consumo regular do azeite de oliva reduz também a formação de placas de ateroma (compostas de gordura, cálcio e células inflamatórias) nas paredes dos vasos sanguíneos.

Azeite, o que Devemos SaberAzeite, o que Devemos Saber – Azeite Aromatizado com Ervas


O azeite de oliva por ser rico em polifenóis previne oxidações biológicas, assim reduz a formação de radicais livres. Os radicais livres são responsáveis pelo envelhecimento, e doenças degenerativas, como o câncer por exemplo.

A recomendação do Food and Drug Administration (FDA), órgão regulamentador americano, do setor alimentício é de 2 colheres de sopa ao dia, que é também a média histórica dos países do Mediterrâneo.

Azeite, o que Devemos Saber sobre variedades e designações comerciais
Azeite extravirgem
  • É o azeite de mais alta qualidade, com acidez permissível entre 0,0 % e 0,8%  (em ácido oleico) e não apresentar defeitos. Indicado para saladas e molhos.
Azeite de oliveira virgem
  • É obtido unicamente por processos mecânicos. Dependendo da acidez do produto obtido, este azeite pode ser classificado como sendo do tipo extra, virgem ou comum. O azeite virgem apresenta acidez permissível entre 0,8% e 2,0%. Indicado para molhos e cozimento.
Azeite de oliva refinado
  • É produzido pela refinação do azeite virgem, que apresenta alta acidez e incidência de defeitos a serem eliminados na refinação como: a cor, o cheiro e o sabor são removidos através de processos químicos, adição de solventes químicos, isômeros, ao azeite, o que permite separar a gordura dos restantes compostos através de uma filtragem. Pode ser misturado com o azeite virgem. Indicado para cozimento.
Azeite de oliva comum
  • É obtido da mistura do azeite lampante (é um azeite com uma acidez, expressa em ácido oleico, superior a 3,3%), inadequado ao consumo, reciclado por meio de processos físico-químicos e sua mistura com azeite virgem e extravirgem. O azeite de oliva comum não possui regulamentação.
Azeite DOP (Denominação de Origem Protegida)
  • Produto cuja denominação refere especificamente a região de onde é proveniente, sendo protegida a nível da UE. É um azeite com história, com tradição, reputação e notoriedade.
Azeite orgânico
  • Produto proveniente da orgânica – não são utilizados adubos ou pesticidas no maneio do olival e na obtenção da azeitona. Em todo o processo de extração é igualmente interdito o contacto com quaisquer substâncias de síntese química. Pressupõe a certificação e controlo desde o olival até ao lagar.
Azeite IGP (Indicação Geográfica Protegida)
  • É igualmente um produto certificado protegido a nível da Comunidade Europeia, sendo, no entanto, a sua ligação à região demarcada mais abrangente.
Cuidados a ter na escolha (análise do rótulo)
  • A data de fabricação
    Prefira azeites mais jovens, com menos de 1 ano de idade.
  • A classificação do azeite
    Os melhores azeites são, os extra virgens. Selecione-os para a mesa. Os virgens devem ser utilizados na cozinha.
  • A acidez
    Quanto menor a acidez, melhor o produto. Prefira o extra virgem que possuem menos de 0,8% de acidez.
  • A extração do azeite
    Dê preferencia  aos azeites extraídos a frio.
  • A origem do produto
    Ao comprar azeites importados de algum país da União Europeia, prefira os que forem produzidos e engarrafados na origem. Pois as leis são muito rígidas em relação à qualidade do produto.

Azeite, o que Devemos Saber

Guloso & Saudável

Salvar

Salvar

Salvar

17 COMENTÁRIOS

  1. Bom dia querida Vânia!
    Aqui em casa não falta azeite, amei suas informações e com certeza o extra virgem é o melhor!
    Obrigada pela bela postagem, super esclarecedora!
    bjs

  2. Querida Vânia
    Tenho paixão por azeite de oliva e uso o extravigem feito por nós!
    Adoro comer pão com um belo fio de azeite e um pouquinho de sal rosa – nham, nham…
    Excelente post!
    Um abraço
    Léia

  3. Boa tARDE vANIA

    Como sempre excelentes seus posts,… Adorei saber mais do azeite e confesso que aqui em casa uso muito mas tb tenho a vantagem de ser caseiro!!!

    Beijocas

    Margarida

  4. Olá vania !
    Excelente informação ! Um post muito bom .
    Cá em casa utilizamos muito azeite, até mesmo para fritar uso azeite.
    Adoro um bom bacalhau com batata cozida bem regado com um bom azeite !
    Muitos beijos.

  5. Olá Vânia,

    O azeite é gordura que muito utilizamos cá em casa !
    Saboroso, nutritivo e saudável, nunca o dispenso nos meus cozinhados !
    A sua publicação é muito didáctica, adorei ! 🙂

    Beijinhos

  6. Que belissimo post Vânia, aqui em casa todos adoramos azeite, utilizo muito em saladas, mas também utilizo em alguns pratos quentes. Gosto muito do extra virgem, é o meu preferido. Beijinhos.

  7. Nossa!! Adorei o post..
    Aliás ótimas dicas, queria muito fazer em casa um azeite assim aromatizado com ervas..
    Deve ficar perfumado e ainda mais saboroso né?
    Beijokas

  8. Olá:)

    Felizmente vivo num país de bom azeite – quem sabe até o melhor do mundo!
    Tenho a sorte de ter familiares produtores de azeite que me oferecem para consumo durante todo o ano:)

    Adorei saber mais um pouquinho:)

    Bom fim-de-semana!
    Beijinhos

Deixe uma resposta